"Por que estás ao longe, Senhor?"

   Em dias de angústias e aflições somos tomados por um sentimento chamado "medo".  Medo de não dar certo. Medo de não acontecer. Medo de acontecer. Medo de errar. Medo até de Deus nos deixar, afinal, quem nunca sentiu medo de Deus o abandonar ou virar as costas? Talvez, por causa de um pecado e um erro pensamos que Deus não quer mais saber de nós. Achamos que Ele deu as costas para nossos problemas e aflições.  E fazemos interrogações como o Salmista:  Por que estás ao longe, SENHOR? Por que te escondes nos tempos de angústia? (Salmos 10:1). Mas, que Deus seria Ele se assim o fizesse? Não, Ele não é capaz de dar as costas para seus filhos, Ele não deu para o Seu povo no deserto... Não deu para o seu único Filho Unigênito no sofrimento da cruz, muito menos dará as costas para nós, nascidos de novo em Cristo.
    Pertencemos a um Deus que se importa. Fomos escolhidos por Ele, e não nós que o escolhemos. A escolha foi feita pela mão do Criador, "Eu escolho você" Ele disse, ainda quando estava no ventre de sua mãe. Como um Deus tão amoroso e zeloso abandonaria uma maravilhosa criação como você? Impossível.  Leia atentamente uma das mais belas declarações do Profeta Isaías: Porventura pode uma mulher esquecer-se tanto de seu filho que cria, que não se compadeça dele, do filho do seu ventre? Mas ainda que esta se esquecesse dele, contudo eu não me esquecerei de ti. Eis que nas palmas das minhas mãos eu te gravei;[...] (Isaías 49:15-16).  Deus nos fez uma promessa: "Não me esquecerei de ti", Ele diz. Sua mãe pode deixá-lo, seu pai abandoná-lo, mas eu, Deus, nunca o deixarei. O Criador não poderia virar as costas para você e suas aflições, simplesmente porque Ele é um Deus que faz promessas e, acima de tudo, as cumpre. Privilegiados somos nós, que servimos e adoramos a um Deus fiel. A um Deus que  se importa a ponto de entregar seu Filho por amor a todos nós, como sacrifício pelos nossos pecados e transgressões. 
   O medo sempre estará presente em nossa caminhada cristã, todavia, temos que nos lembrar com quem estamos nessa caminhada: Cristo. Ele também enfrentou o medo e foi o Único que o superou ao morrer na cruz e ressuscitar ao terceiro dia. Cristo venceu, não só o medo, como a própria morte. Ele venceu ontem. Vence hoje. Vencerá amanhã e eternamente. 
     Lembre-se disso quando o medo chegar. 

     Há um Deus bondoso que não seria capaz de abandoná-lo em suas aflições, Ele está ao seu lado...Ouça-O dizer: "Contudo eu não me esquecerei de ti. Eis que nas palmas das minhas mãos eu te gravei...".


Comentários

Postagens mais visitadas