Deus de toda a consolação | 2 Coríntios 1:3

Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai das misericórdias e o Deus de toda a consolação;
Que nos consola em toda a nossa tribulação, para que também possamos consolar os que estiverem em alguma tribulação, com a consolação com que nós mesmos somos consolados por Deus.
(2 Coríntios 1:3,4)

     Você em algum momento e circunstância da vida já passou por uma aflição, um problema ruim e difícil de resolver, sem dúvidas, situações familiares ou até necessidades. Todos nós já passamos, e continuaremos a passar momentos assim enquanto vivermos nesse mundo. Tanto o justo, como o ímpio, não importa, a Palava diz que a tempestade vem para ambos. Mas, a diferença do justo é que ele encontra consolo e amparo no momento de fraqueza e tristeza. 
    Deus nos consola em toda tribulação, como afirma Paulo no versículo acima, "...para que também possamos consolar os que estiverem" continua ele. Podemos ver que Deus nos ensina. Vivemos todos os dias na escola de Deus, o Professor. Neste versículo Paulo nos exorta a seguirmos as atitudes do Senhor. Se Ele me consola, devo consolar alguém. Se Ele me ajuda, devo ajudar alguém. Se Ele me apoia, devo apoiar alguém. Se Ele está comigo, devo está com alguém. Dizemos "Presente!" na classe de Deus todos os dias da vida, e mesmo assim ás vezes não aprendemos com Ele. Saímos das aulas da mesma forma que entramos, não O ouvimos nem sequer nos importamos.  Paulo quer dizer, ora! se passamos tribulações e somos consolados por Deus, temos o consolo que o nosso próximo precisa - o consolo que vem do Altíssimo. 
     Vivemos tempos difíceis na terra, tempos em que encontramos poucos consoladores em nossa jornada cristã, tempos individualistas. Se eu já tenho, basta. Se eu estou bem, basta. Se eu consigo, basta. Se eu posso, basta.  Seria tão bom vivermos os tempos da Igreja primitiva dos Apóstolos, se você ainda não tem, irei te dar o que tenho. E mesmo que seja pouco, agora algo você terá. Não passará  necessidade. Creio que este era o "lema" da Igreja primitiva, seja com coisas materiais ou  as espirituais - Você não tem? Vamos resolver isso juntos!.  Hoje , todavia, a Igreja vive um corpo desmembrado e enfermo. O pé está calejado em demasia e a mão não sabe, muito menos os dedos, ora muito menos as orelhas sabem. O tornozelo? Talvez ouviu falar.  Se eu consegui uma conquista, uma vitória, devemos celebrar. Todavia, o tornozelo não sabe que a vitória e o alivio do pé foi importante. As mãos muito menos ouviram falar que o pé estava precisando de um alívio, os dedos poderiam ter até feito algo para contribuir mas não chegaram a tempo, estavam ocupados demais. Enfim, membros desligados e despreocupados. Estou bem demais. Estou ocupado demais. Estou farto demais. Ora, sou a orelha, nem posso vê-lo, como saberei como ele está? 
        Contudo, Paulo alerta a Igreja de Corintios uma coisa: "o Pai das misericórdias e o Deus de toda a consolação que nos consola em toda a nossa tribulação..." - Que bom saber. Nisso todos os membros se agradam e alegram-se!. Porém o versículo não acaba aí. Ele continua "para que também possamos consolar os que estiverem em alguma tribulação, com a consolação com que nós mesmos somos consolados por Deus".  Se este alerta funcionou para os membros de Corintios, sem dúvidas pode funcionar para nós em nossos dias. 

Comentários

Postagens mais visitadas