Um dia. Uma conversa. Um encontro

     Sem dúvidas aquele dia não foi apenas um dia comum, aquela mulher devia fazer o mesmo trajeto todos os dias "próximo a hora sexta", ou quem sabe, apenas alguns dias da semana, mas contudo aquele dia em especial não foi nada típico. Ao ir se aproximando da fonte ela contemplou uma figura atípica, sentado a beira da fonte estava ele. Para ela era um simples homem,  então, sem olhar para os olhos dele prosseguiu seu trabalho - tirar água da fonte. E nada mais. Uma tarefa rotineira e mecânica, somente um cântaro na mão era o suficiente para encher de água. Todos os dias era necessário ir até o poço, o mesmo trajeto, na mesma hora, com o mesmo cântaro. Sol a pico. Porém... Naquele dia algo quebraria o silêncio da tarde, ela ouviu uma voz calma e decidida: "Dá-me de beber." sussurra ele.  Uma expressão surpresa estampou sua face, afinal, ela sabia muito de onde o homem viera, "Como, sendo tu judeu, me pedes de beber a mim, que sou mulher samaritana?" ela tinha certeza da origem do homem à sua frente, contudo, não tinha certeza quem era ele.  Depois de alguns segundos, o homem profere umas palavras que a deixa mais confusa ainda: "Se tu conheceras o dom de Deus, e quem é o que te diz: Dá-me de beber, tu lhe pedirias, e ele te daria água viva." João 4:10, ela poderia ter pensado que ele estava delirando com o calor do sol sob sua cabeça, ou que talvez quisesse apenas tomar o tempo dela, não sei, só sei que ela disse "Senhor, tu não tens com que a tirar, e o poço é fundo; onde, pois, tens a água viva?", o homem suspira, mas não impacientemente, ele suspira com satisfação, afinal ele adora responder perguntas. "És tu maior do que o nosso pai Jacó, que nos deu o poço, bebendo ele próprio dele, e os seus filhos, e o seu gado?" continuou ela, ansiosa. Perguntas e mais perguntas.  Imagino o homem se inclinando um pouco a frente, como se fosse contar algum segredo: "Qualquer que beber desta água tornará a ter sede;
Mas aquele que beber da água que eu lhe der nunca terá sede, porque a água que eu lhe der se fará nele uma fonte de água que salte para a vida eterna." João 4:13,14, "Só pode esta de brincadeira!" qualquer um poderia ter pensado.
       Mas aquela mulher não escolheu duvidar ou debochar, ela escolheu ousar: "Senhor, dá-me dessa água" e não precisarei vim aqui todos os dias nesta mesma hora. 
"Senhor, dá-me dessa água" e não precisarei mais fazer este trajeto debaixo do sol.
"Senhor, dá-me dessa água" e não terei mais de fazer esta árdua tarefa. 
 E é isto que o homem lhe oferece - saciedade eterna. Poderia ter sido mais um dia qualquer para aquela mulher, mas a figura que surpreende os dias estava presente: Jesus. Uma conserva nada demorada à beira de um poço era o suficiente para algo acontecer, um dia comum que passou e ser um dia especial, Jesus decidiu passar em Samaria e marcar uma vida, aquela mulher não esqueceria mais aquele dia e nem daquelas palavras. Ao olhar de longe para o poço ela se lembraria de cada gesto, expressão e palavra, ela se lembraria das feições de Jesus, gesto misericordioso e compassivo, paciente e bondoso. Ela não só conheceu a origem como também quem era o homem a sua frente. 
Jesus se revelou a ela num dia comum porque simplesmente ela O deixou se revelar, ela foi ousada em questionar, aproveitou cada momento com ele. "Senhor, vejo que és profeta." disse, convicta. 
"Me tire uma dúvida... Nossos pais adoraram neste monte, e vós dizeis que é em Jerusalém o lugar onde se deve adorar.", então Jesus lhe revela algo que ela nunca teria ouvido antes: "Mulher, crê-me que a hora vem, em que nem neste monte nem em Jerusalém adorareis o Pai.[...] Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem." João 4:21-23. 
     Talvez seus dias tenham sido como os dias daquela mulher samaritana, dias nada atípicos, dias repetitivos, dias alienados e duvidosos, mas existe Um que está disposto a conversar com você diante destes dias rotineiros. Há um homem que quer passar um tempo com você e tirar umas dúvidas. Jesus está disposto a mudar os seus dias, e ele não exita em ficar com você, ao contrário, ele diz que é "necessário", é muito importante ter com você a beira do poço. Para ele o primordial é ter encontros marcantes. Jesus não quer que você saiba sua origem, mais que isso, ele quer que você O conheça. E quando estiver com ele não se esqueça de pedir: Dá-me de beber.


Comentários

Postagens mais visitadas